Postagens

Adhemar Ferreira da Silva, o homem do Salto Triplo e da volta olímpica

Imagem
O público que lotava o Estádio de Helsinque, nos Jogos de 1952, aplaudia calorosamente um pretinho magrelo, gentil e sorridente. Brasileiro. Seu nome era Adhemar Ferreira da Silva. Ele acabava de receber a Medalha de Ouro do Salto Triplo, depois de quebrar o recorde da modalidade quatro vezes naquela mesma tarde. Em agradecimento às palmas, ele correu em torno do gramado acenando para as arquibancadas. Estava inaugurado um novo costume: a volta olímpica. Mais que isso, o atletismo do Brasil chegava pela primeira vez ao topo do pódio. Depois disso, atletas vencedores em todos os Jogos passaram a repetir o gesto de Adhemar Ferreira da Silva. Adhemar repetiu o feito quatro anos depois, em Melbourne. Foi novamente Medalha de Ouro. Não pode competir em Roma-60 porque contraiu uma tuberculose que lhe tirou a chance de uma terceira medalha dourada. Encerrou a carreira de atleta e se dedicou aos estudos. Fez quatro cursos na faculdade, aprendeu cinco idiomas. Foi adido cultural do Brasil na Nig…

Edward Enninful, primeiro editor-chefe negro da Vogue britânica

Imagem
A Vogue britânica, revista de moda que existe desde 1916, passado um século, pela primeira vez na história, entrega nas mãos de um negro o comando da publicação.
AVoguebritânica sempre teve mulheres brancas no comando: Elspeth Champcommunal (1916-1922), Dorothy Todd (1922-1926), Alison Settle (1926-1934), Elizabeth Penrose (1935-1939), Audrey Withers (1940-1960), Alisa Garland (1960-1964), Beatrix Miller (1964-1984), Anna Wintour (1985-1987), Elizabeth Tilberis (1988-1992) e Alexandra Shulman (1992-2017). E a Vogueamericana, original entre as revistas da marca, nunca teve um homem como editor.
O estilista Edward Enninful, de 45 anos, quebra estas barreiras. Até a mudança, o pioneiro era diretor criativo e de moda na revistaW, outra publicação sobre moda e estilo que pertence ao mesmo grupo.
A confirmação de Enninful como novo editor-chefe da Vogue britânica aconteceu em 10 de abril de 2017. Na oportunidade, o presidente-executivo da Condé Nast International, Jonathan Newhouse, chamou En…

Solano Trindade, pioneiro da Literatura Negra

Imagem
“Quem tá gemendo,  Negro ou carro de boi?
Carro de boi geme quando quer,
Negro, não,
Negro geme porque apanha,
Apanha pra não gemer...

Gemido de negro é cantiga, 
Gemido de negro é poema...
Gemem na minh′alma,
A alma do Congo,
Da Niger, da Guiné,
De toda África enfim...
A alma da América... 
A alma Universal...

Quem tá gemendo,
negro ou carro de boi?”
“Quem tá gemendo?”, extraído do livro “Poemas Duma Vida Simples”, de 1944, de autoria do pernambucano Francisco Solano Trindade, que morreu como indigente em 19 de fevereiro de 1974, na cidade do Rio de Janeiro, aos 65 anos de idade. Nas palavras do escritor Darcy Ribeiro, um dos mais importantes nomes do século XX a trabalhar a auto-estima do povo negro do Brasil. Solano Trindade foi quem fez surgir a Literatura Negra no Brasil.


Poeta, folclorista, pintor, ator, teatrólogo e cineasta, Solano Trindade nasceu filho do sapateiroManuel Abílio Trindade e de doméstica cafuza (mestiça de negro e índio),na cidade de Recife, no dia 24 de julho de 1…